CADASTRE-SE AQUI para receber nossa newsletter e concorrer ao sorteio, no dia 15/09/2017, de um livro impresso do autor

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Pequeno, mas de alma grande

Pouco importa ser pequeno, quando a alma é grande. (Juahrez Alves)

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sem juizo

A vida perde o sentido para quem não tem juízo.(Juahrez Alves)

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Significado do símbolo

O símbolo é a representação de um rito, de um caminho em direção a um objetivo. (Juahrez Alves)

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Qual o sentido da felicidade?

Juahrez Alves
Por Juahrez Alves

Certo discípulo chegou ao seu mestre com uma grande dúvida:

-Mestre, qual o sentido da felicidade?

O ancião, percebendo o que se passava na cabeça do seu interlocutor, não hesitou em lhe fazer outro questionamento:

- Quantos sentidos nós temos?

- Cinco sentidos - respndeu-lhe o rapaz.

E, olhando firme para aquele moço com um brilho cheio de expectativas nos olhos, o velho sábio não se intimidou em lançar um certo enigma nas entrelinhas de sua resposta:

- Então, precisamos de mais um sentido para compreendermos a tal felicidade.

terça-feira, 8 de abril de 2014

O empresário e o seu empregado

Crônica de Juahrez Alves
O operário chegou ao seu patrão e perguntou-lhe:
           - Meu patrão, com todo respeito, gostaria de lhe fazer uma pergunta: eu sou uma pessoa bonita, as mulheres me olham bastante, mas nunca recebo um convite dos amigos e nem de ninguém para participar de algo interessante. No entanto, percebo que o senhor é cheio de convites. Será que eu tenho algum defeito?
           - Seu defeito é a falta de dinheiro. - Respondeu-lhe o seu chefe.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

O turista brasileiro e um velhinho oriental


Crônica de Juahrez Alves
No oriente médio, um turista brasileiro encontra um velhinho caminhando pelas areias do deserto, e questiona-o:

- Se o senhor conhecesse o nosso pais, não ficaria aqui nem um minuto. No Brasil há muito verde, muita coisa bonita, e aqui é somente essa imensidão de deserto.

O ancião não gostou das palavras do seu interlocutor:

- Qual é a cabeça que coça mais, a do cabeludo ou a do careca?

O turista se apressou na sua resposta:

 - Acho que a do cabeludo.

E o velhinho sorrindo, justificou o motivo de sua indagação:

- Então? A nossa terra pode parecer estéril na aparência, mas no seu bojo há muito petróleo. No entanto, um território que se mostra próspero na aparência vive cheio de problemas. Outra diferença entre o deserto e uma terra coberta de arbustos, é que aqui aprendemos a valorizar uma palmeira como se ela fosse uma imensa floresta. Diferentemente de vocês brasileiros que aprenderam a valorizar a Amazônia como se ela fosse uma palmeira.

O forasteiro ainda quis contra-argumentar e falar também dos problemas milenares daqueles povos do oriente com a disputa de território, mas achou melhor ficar calado para não receber uma lição ainda maior.



Viver em benefício da paz

Não há calvário maior do que viver em beneficio da paz.(Juahrez Alves)